Quem matou Pasolini? Um prostituto homofóbico ou um grupo de fascistas? Um bando de marginais ou agentes da polícia secreta? Perguntas que permanecem irrespondidas. Dado por encerrado, o caso foi reaberto 30 anos após a condenação do único assassino confesso, com sua súbita revelação de que, ao contrário do que sempre afirmara, não fora o único a matar o poeta. Com a nova versão de Pelosi, as últimas e mais absurdas teorias sobre o crime concebido pela vítima como “rito cultural” caem por terra. Definitivamente, Pasolini não precisava dessa morte para inscrever-se entre os maiores poetas do século XX. Resgatar o escritor italiano do peso sensacionalista que se abateu sobre sua produção e vem soterrando-a sob a massa de uma visibilidade escandalosa é o que Luiz Nazario faz no presente livro em que afloram, em suas reais dimensões, todos os corpos de Pasolini. Sua pesquisa, informação, avaliação e interpretação percorrem o corpus imenso das obras completas de um inesgotável universo artístico: mais de 16 mil páginas de poemas, romances, contos, crônicas, ensaios, peças, roteiros e cartas, ao lado de 26 filmes, e traduções, desenhos, pinturas, músicas, entrevistas e performances o compõe. Sua riqueza é tão fascinante que os dicionários do futuro estarão incompletos se não incorporarem o adjetivo pasoliniano para definir uma estética de sacralização dos corpos populares, uma moral radicalmente humanista, uma erótica avessa aos disfarces e um estilo de vida libertário, que alimentaram a busca e a arte de Pasolini.
ISBN: 9788527307796
Autor: Luiz Nazario
Páginas: 400

Coleção: PERSPECTIVAS/

Peso: 0,63 kg
Dimensões: 23 x 16 x 2,2 cm
TODOS OS CORPOS DE PASOLINI
R$79,90
Quantidade
TODOS OS CORPOS DE PASOLINI R$79,90

Conheça nossas opções de frete


Quem matou Pasolini? Um prostituto homofóbico ou um grupo de fascistas? Um bando de marginais ou agentes da polícia secreta? Perguntas que permanecem irrespondidas. Dado por encerrado, o caso foi reaberto 30 anos após a condenação do único assassino confesso, com sua súbita revelação de que, ao contrário do que sempre afirmara, não fora o único a matar o poeta. Com a nova versão de Pelosi, as últimas e mais absurdas teorias sobre o crime concebido pela vítima como “rito cultural” caem por terra. Definitivamente, Pasolini não precisava dessa morte para inscrever-se entre os maiores poetas do século XX. Resgatar o escritor italiano do peso sensacionalista que se abateu sobre sua produção e vem soterrando-a sob a massa de uma visibilidade escandalosa é o que Luiz Nazario faz no presente livro em que afloram, em suas reais dimensões, todos os corpos de Pasolini. Sua pesquisa, informação, avaliação e interpretação percorrem o corpus imenso das obras completas de um inesgotável universo artístico: mais de 16 mil páginas de poemas, romances, contos, crônicas, ensaios, peças, roteiros e cartas, ao lado de 26 filmes, e traduções, desenhos, pinturas, músicas, entrevistas e performances o compõe. Sua riqueza é tão fascinante que os dicionários do futuro estarão incompletos se não incorporarem o adjetivo pasoliniano para definir uma estética de sacralização dos corpos populares, uma moral radicalmente humanista, uma erótica avessa aos disfarces e um estilo de vida libertário, que alimentaram a busca e a arte de Pasolini.
ISBN: 9788527307796
Autor: Luiz Nazario
Páginas: 400

Coleção: PERSPECTIVAS/

Peso: 0,63 kg
Dimensões: 23 x 16 x 2,2 cm