Segundo Haroldo de Campos, é graças à sensibilidade poética bilíngüe de Yun Jung Im e à sua atualizada concepção da tradução como prática intersemiótica que a coleção Signos, dentro de seu projeto goetheanamente universal, tem a oportunidade de apresentar aos leitores brasileiros este poeta-prosador, ao extremo singular, que é Yi Sáng. Na trama dos textos em prosa do autor, não só o Beckett da espera sem esperança, mas também o Kafka do cotidiano levado ao absurdo podem ser pontos de contacto para a inteligibilidade do leitor ocidental. Há, porém, por trás do anonimato “coisal” de seu cognome, Senhor “Caixa”, algo de irredutível, de profundamente estranho, de singularíssimo: tanto seus poemas como seus textos-estórias são perpassados por uma pulsão de morte; a mulher, angelizada e/ou demonizada, é o centro enigmático desses obsessivos rodeios concêntricos de dor (sufocada), amor (irresolvido) e humor (negro-cínico, autor-irônico, farpado). Yi Sáng, em sua obra, tira hábil partido das possibilidades lúdicas de seu idioma, no nível fônico e de plurissignificação, resultante da mescla de caracteres chineses e signos alfabéticos coreanos, no nível grafemático-visual da escrita.
--
ISBN: 9788527301961
Autor: Yi Sáng (Yun Jung Im – Org.)
Páginas: 264
Coleção: SIGNOS/S.026
Ano de publicação: 1999
Peso: 0,39 kg
Dimensões: 20,5 x 15 x 0 cm
OLHO-DE-CORVO
R$59,90
Esgotado
OLHO-DE-CORVO R$59,90
Segundo Haroldo de Campos, é graças à sensibilidade poética bilíngüe de Yun Jung Im e à sua atualizada concepção da tradução como prática intersemiótica que a coleção Signos, dentro de seu projeto goetheanamente universal, tem a oportunidade de apresentar aos leitores brasileiros este poeta-prosador, ao extremo singular, que é Yi Sáng. Na trama dos textos em prosa do autor, não só o Beckett da espera sem esperança, mas também o Kafka do cotidiano levado ao absurdo podem ser pontos de contacto para a inteligibilidade do leitor ocidental. Há, porém, por trás do anonimato “coisal” de seu cognome, Senhor “Caixa”, algo de irredutível, de profundamente estranho, de singularíssimo: tanto seus poemas como seus textos-estórias são perpassados por uma pulsão de morte; a mulher, angelizada e/ou demonizada, é o centro enigmático desses obsessivos rodeios concêntricos de dor (sufocada), amor (irresolvido) e humor (negro-cínico, autor-irônico, farpado). Yi Sáng, em sua obra, tira hábil partido das possibilidades lúdicas de seu idioma, no nível fônico e de plurissignificação, resultante da mescla de caracteres chineses e signos alfabéticos coreanos, no nível grafemático-visual da escrita.
--
ISBN: 9788527301961
Autor: Yi Sáng (Yun Jung Im – Org.)
Páginas: 264
Coleção: SIGNOS/S.026
Ano de publicação: 1999
Peso: 0,39 kg
Dimensões: 20,5 x 15 x 0 cm