O cinema tendo se apoderado do imaginário do espectador, satisfazendo a seu desejo de identificação, qual seria, então, o lugar do teatro na cena contemporânea? Um tema que vem se propondo cada vez mais ao exame crítico moderno é o do estatuto do teatro no contexto globalizado e tecnocentrado da contemporaneidade e, nesse sentido, é valiosa a reflexão que este volume da coleção Debates, traduzido por Fátima Saadi, leva ao leitor de língua portuguesa. Trata-se de responder à questão: "O Teatro é Necessário?" Para tanto Denis Guénoun acompanha, ao longo da história do teatro, a formação e as modificações do conceito de identificação com o personagem, tanto por parte do ator quanto do espectador. Na Antiguidade, a mimese não supunha a identificação, que se esboça a partir da releitura renascentista da Poética de Aristóteles e encontra seu ápice no naturalismo do fim do século XIX. Diderot, Stanislávski e Brecht são tomados como marcos na discussão sobre a ilusão no teatro, redirecionada com o surgimento do cinema que, ao se apoderar do imaginário do espectador, satisfazendo a seu desejo de identificação, torna ainda mais evidente a vocação do teatro para o jogo, para o fazer compartilhado entre atores e espectadores, capaz de articular de modo produtivo a estética, a ética e a política.
--
ISBN: 9788527307000
Autor: Denis Guénoun
Páginas: 170
Tradutor: Fátima Saadi
Coleção: DEBATES/D.298
Ano de publicação: 2004
Peso: 0,16 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm
TEATRO É NECESSÁRIO?, O
R$39,90
Quantidade
TEATRO É NECESSÁRIO?, O R$39,90

Conheça nossas opções de frete

O cinema tendo se apoderado do imaginário do espectador, satisfazendo a seu desejo de identificação, qual seria, então, o lugar do teatro na cena contemporânea? Um tema que vem se propondo cada vez mais ao exame crítico moderno é o do estatuto do teatro no contexto globalizado e tecnocentrado da contemporaneidade e, nesse sentido, é valiosa a reflexão que este volume da coleção Debates, traduzido por Fátima Saadi, leva ao leitor de língua portuguesa. Trata-se de responder à questão: "O Teatro é Necessário?" Para tanto Denis Guénoun acompanha, ao longo da história do teatro, a formação e as modificações do conceito de identificação com o personagem, tanto por parte do ator quanto do espectador. Na Antiguidade, a mimese não supunha a identificação, que se esboça a partir da releitura renascentista da Poética de Aristóteles e encontra seu ápice no naturalismo do fim do século XIX. Diderot, Stanislávski e Brecht são tomados como marcos na discussão sobre a ilusão no teatro, redirecionada com o surgimento do cinema que, ao se apoderar do imaginário do espectador, satisfazendo a seu desejo de identificação, torna ainda mais evidente a vocação do teatro para o jogo, para o fazer compartilhado entre atores e espectadores, capaz de articular de modo produtivo a estética, a ética e a política.
--
ISBN: 9788527307000
Autor: Denis Guénoun
Páginas: 170
Tradutor: Fátima Saadi
Coleção: DEBATES/D.298
Ano de publicação: 2004
Peso: 0,16 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm