Sociedade complexa, sociedade de imagem, sociedade eletrônica, a nossa parece também – e cada vez mais – uma sociedade da memória. Não apenas os grandes arquivos têm o seu arranjo e o seu “espírito” modificados pela tecnologia informática; no comportamento coletivo, presenciamos o nascimento de uma verdadeira “paixão arquivística”, que promove a coleção de signos do passado recente ou remoto, a criação de pequenos arquivos pessoais, o registro através da fotografia, do cinema ou de equipamento eletrônico televisivo, daquela parte do mundo que mais tememos perder. Trata-se de uma nova paixão? Não parece. Fausto Colombo, em "Os Arquivos Imperfeitos", procura mostrar que a utopia arquivística tem uma história, oculta n"os refolhos da cultura ocidental; e que encobre uma idéia bem precisa do homem e seu destino no mundo. E nos conta, ainda, como a esperança de salvar a realidade através dos signos mnemônicos revela-se tal qual é: uma fascinante porém desnorteante ilusão, que envolve a própria memória do homem, o significado das imagens que ele produz, sua vivência temporal, enfim, o terror que sente do esquecimento e a sua própria identidade.
--
ISBN: 9788527303507
Autor: Fausto Colombo
Páginas: 134
Tradutor: Beatriz Borges
Coleção: DEBATES/D.243
Peso: 0,2 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 1,1 cm
ARQUIVOS IMPERFEITOS, OS
R$34,90
Esgotado
ARQUIVOS IMPERFEITOS, OS R$34,90
Sociedade complexa, sociedade de imagem, sociedade eletrônica, a nossa parece também – e cada vez mais – uma sociedade da memória. Não apenas os grandes arquivos têm o seu arranjo e o seu “espírito” modificados pela tecnologia informática; no comportamento coletivo, presenciamos o nascimento de uma verdadeira “paixão arquivística”, que promove a coleção de signos do passado recente ou remoto, a criação de pequenos arquivos pessoais, o registro através da fotografia, do cinema ou de equipamento eletrônico televisivo, daquela parte do mundo que mais tememos perder. Trata-se de uma nova paixão? Não parece. Fausto Colombo, em "Os Arquivos Imperfeitos", procura mostrar que a utopia arquivística tem uma história, oculta n"os refolhos da cultura ocidental; e que encobre uma idéia bem precisa do homem e seu destino no mundo. E nos conta, ainda, como a esperança de salvar a realidade através dos signos mnemônicos revela-se tal qual é: uma fascinante porém desnorteante ilusão, que envolve a própria memória do homem, o significado das imagens que ele produz, sua vivência temporal, enfim, o terror que sente do esquecimento e a sua própria identidade.
--
ISBN: 9788527303507
Autor: Fausto Colombo
Páginas: 134
Tradutor: Beatriz Borges
Coleção: DEBATES/D.243
Peso: 0,2 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 1,1 cm