É, sem dúvida, por um ângulo inusitado, em termos da literatura existente, que a psicanalista Maria Pierrakos desenvolve o seu depoimento crítico, que é ao mesmo tempo uma espécie de desabafo intelectual e pessoal, sobre Lacan e seus famosos seminários. Ocupando, por doze anos, a função de estenotipista oficial, a autora esteve presente a todas as aulas, ao lado do protagonista e diante da fiel platéia do “Mestre”. Nesta condição, seu papel consistiu apenas em transcrever as palavras e os ensinamentos proferidos pelo professor do alto de sua “ciência”, o que naturalmente não permitia exprimir pensamentos e opiniões possíveis da anotadora e, na própria medida de seu interesse pelo assunto, trouxe-lhe algumas frustrações, digamos “psicanalíticas”. Embora lograsse mais tarde desenhar um trajeto próprio na psicanálise e na antropologia, Pierrakos nos oferece uma leitura singular dos seminários, utilizando-se de sua vivência pretérita e de sua experiência como psicanalista. Assim, aponta, entre outras coisas, um exercício autoritário da condição do guru-analista, na pregação de suas idéias renovadoras da ciência e do saber freudianos, a revelarem-se a uma platéia submissa e quase fanática pelo “ídolo”. Por tudo isso, torna-se sugestivo o título desta obra, "A “Batedora” de Lacan", que, em tradução de Fabio e Eva Landa, entra para a coleção Elos da editora Perspectiva.
--
ISBN: 9788527307109
Autor: Maria Pierrakos
Páginas: 72
Tradutor: Fabio Landa e Eva Landa
Coleção: ELOS/EL.56
Peso: 0,08 kg
Dimensões: 18 x 11 x 0,5 cm
BATEDORA DE LACAN, A
R$24,90
Quantidade
BATEDORA DE LACAN, A R$24,90

Conheça nossas opções de frete


É, sem dúvida, por um ângulo inusitado, em termos da literatura existente, que a psicanalista Maria Pierrakos desenvolve o seu depoimento crítico, que é ao mesmo tempo uma espécie de desabafo intelectual e pessoal, sobre Lacan e seus famosos seminários. Ocupando, por doze anos, a função de estenotipista oficial, a autora esteve presente a todas as aulas, ao lado do protagonista e diante da fiel platéia do “Mestre”. Nesta condição, seu papel consistiu apenas em transcrever as palavras e os ensinamentos proferidos pelo professor do alto de sua “ciência”, o que naturalmente não permitia exprimir pensamentos e opiniões possíveis da anotadora e, na própria medida de seu interesse pelo assunto, trouxe-lhe algumas frustrações, digamos “psicanalíticas”. Embora lograsse mais tarde desenhar um trajeto próprio na psicanálise e na antropologia, Pierrakos nos oferece uma leitura singular dos seminários, utilizando-se de sua vivência pretérita e de sua experiência como psicanalista. Assim, aponta, entre outras coisas, um exercício autoritário da condição do guru-analista, na pregação de suas idéias renovadoras da ciência e do saber freudianos, a revelarem-se a uma platéia submissa e quase fanática pelo “ídolo”. Por tudo isso, torna-se sugestivo o título desta obra, "A “Batedora” de Lacan", que, em tradução de Fabio e Eva Landa, entra para a coleção Elos da editora Perspectiva.
--
ISBN: 9788527307109
Autor: Maria Pierrakos
Páginas: 72
Tradutor: Fabio Landa e Eva Landa
Coleção: ELOS/EL.56
Peso: 0,08 kg
Dimensões: 18 x 11 x 0,5 cm