50% OFF
CRISE MUNDIAL DA EDUCAÇÃO, A
Descrição: A Pedagogia moderna não só é incapaz de descrever o mundo da educação atual, como também de resolver sozinha a crise que se instaurou mundialmente no sistema de ensino. Mas quais seriam as causas dessa crise de amplitude planetária e que carrega em si perigosas potencialidades? Ainda haveria tempo de colocar em ação uma estratégia que impedisse o desajustamento que certamente provocará a ruptura dos sistemas educacionais e, em certos casos, a ruptura da própria sociedade a que pertencem? Estamos numa situação-limite — é o que nos diz Philip H. Coombs, do International Institute for Educational Planning — e só conseguiremos apreender sua gravidade se examinarmos o sistema de ensino inserido em seu ambiente político, social e econômico. Esse estudo é realizado sobre as diferentes partes nas quais o autor desmembra o sistema: os elementos formais (cursos oficiais) e informais (atualização profissional, técnica e rural, alfabetização de adultos, etc), a pesquisa tecnológica, os preconceitos acadêmicos, a escassez dos recursos destinados aos programas educacionais. Embora não empenhado numa terapêutica, Philip H. Coombs conta algumas possibilidades para a elaboração de uma estratégia que será eficiente "se construída de uma comunhão de objetivos, uma percepção racional e uma força de vontade emanadas diretamente do meio econômico, social e cultural" que o sistema de ensino serve. Este livro, lançado num momento em que o desenvolvimento educacional brasileiro desperta tanto interesse, é fundamental a pedagogos e educadores, mas também a sociólogos, políticos e ao público em geral, pois "a crise da educação é um assunto que atinge a todos".

--

ISBN: 9788527304511
Autor: Philip H. Coombs
Número de páginas: 324
Coleção: Debates 112
Dimensões: 11,5 cm x 20,5 cm
Peso: 0,310kg
CRISE MUNDIAL DA EDUCAÇÃO, A
R$59,90 R$29,95
Esgotado
CRISE MUNDIAL DA EDUCAÇÃO, A R$29,95
Descrição: A Pedagogia moderna não só é incapaz de descrever o mundo da educação atual, como também de resolver sozinha a crise que se instaurou mundialmente no sistema de ensino. Mas quais seriam as causas dessa crise de amplitude planetária e que carrega em si perigosas potencialidades? Ainda haveria tempo de colocar em ação uma estratégia que impedisse o desajustamento que certamente provocará a ruptura dos sistemas educacionais e, em certos casos, a ruptura da própria sociedade a que pertencem? Estamos numa situação-limite — é o que nos diz Philip H. Coombs, do International Institute for Educational Planning — e só conseguiremos apreender sua gravidade se examinarmos o sistema de ensino inserido em seu ambiente político, social e econômico. Esse estudo é realizado sobre as diferentes partes nas quais o autor desmembra o sistema: os elementos formais (cursos oficiais) e informais (atualização profissional, técnica e rural, alfabetização de adultos, etc), a pesquisa tecnológica, os preconceitos acadêmicos, a escassez dos recursos destinados aos programas educacionais. Embora não empenhado numa terapêutica, Philip H. Coombs conta algumas possibilidades para a elaboração de uma estratégia que será eficiente "se construída de uma comunhão de objetivos, uma percepção racional e uma força de vontade emanadas diretamente do meio econômico, social e cultural" que o sistema de ensino serve. Este livro, lançado num momento em que o desenvolvimento educacional brasileiro desperta tanto interesse, é fundamental a pedagogos e educadores, mas também a sociólogos, políticos e ao público em geral, pois "a crise da educação é um assunto que atinge a todos".

--

ISBN: 9788527304511
Autor: Philip H. Coombs
Número de páginas: 324
Coleção: Debates 112
Dimensões: 11,5 cm x 20,5 cm
Peso: 0,310kg