O filósofo iraniano entrevista, neste livro, aquele que "encarna seguramente uma das maiores consciências de nosso fim de século. [...] Um espírito livre e independente, à margem de todo sistema, junto ao qual se combina a exigência ética de um, sobrevivente, com a preocupação ontológica de um , mestre da leitura, ". "Nós somos aqueles que vêm depois; sabemos doravante que um homem pode ler Goethe ou Rilke à noite, desfrutar de trechos de Bach ou de Schubert, e na manhã seguinte, ocupar-se de seu trabalho cotidiano em Auschwitz. Dizer que ele leu sem compreender ou que fez que não ouviu é uma escapatória demasiado fácil. Será por sabermos quais podem ser as consequências para a sociedade e para a literatura, ao passo que de Platão a Mattew Arnold e Alain a esperança baseada na força humanizante da cultura tornou-se quase um dogma, é que todos crêem no valor desta energia espiritual inspiradora do comportamento? Além do mais, as instituições que tinham o encargo de promover a civilização e de divulgar os resultados , unversidades, artes, publicações , não somente não souberam se opor com eficácia à barbárie política, porém, a glorificaram, com freqüência concederam-lhe honras e a cobriram de elogios."
--


ISBN: 9788527305310
Autor: Ramin Jahanbegloo
Páginas: 222
Tradutor: Fany Kon e J. Guinsburg
Coleção: DEBATES/D.291
Ano de publicação: 2003
Peso: 0,21 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm

GEORGE STEINER: À LUZ DE SI MESMO
R$44,90
Quantidade
GEORGE STEINER: À LUZ DE SI MESMO R$44,90

Conheça nossas opções de frete

O filósofo iraniano entrevista, neste livro, aquele que "encarna seguramente uma das maiores consciências de nosso fim de século. [...] Um espírito livre e independente, à margem de todo sistema, junto ao qual se combina a exigência ética de um, sobrevivente, com a preocupação ontológica de um , mestre da leitura, ". "Nós somos aqueles que vêm depois; sabemos doravante que um homem pode ler Goethe ou Rilke à noite, desfrutar de trechos de Bach ou de Schubert, e na manhã seguinte, ocupar-se de seu trabalho cotidiano em Auschwitz. Dizer que ele leu sem compreender ou que fez que não ouviu é uma escapatória demasiado fácil. Será por sabermos quais podem ser as consequências para a sociedade e para a literatura, ao passo que de Platão a Mattew Arnold e Alain a esperança baseada na força humanizante da cultura tornou-se quase um dogma, é que todos crêem no valor desta energia espiritual inspiradora do comportamento? Além do mais, as instituições que tinham o encargo de promover a civilização e de divulgar os resultados , unversidades, artes, publicações , não somente não souberam se opor com eficácia à barbárie política, porém, a glorificaram, com freqüência concederam-lhe honras e a cobriram de elogios."
--


ISBN: 9788527305310
Autor: Ramin Jahanbegloo
Páginas: 222
Tradutor: Fany Kon e J. Guinsburg
Coleção: DEBATES/D.291
Ano de publicação: 2003
Peso: 0,21 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm