Qual é o estatuto da invenção poética na modernidade? A linguagem liberada do peso coercitivo da tradição e da convenção entra num livre jogo com as heranças culturais mais heterogêneas, criando assim novas formas artísticas que apontam para visões inéditas do mundo e da condição humana. O livro ora apresentado, de Kathrin H. Rosenfield, rastreia estas aberturas em diferentes momentos da história da arte: na figura do amor cortês medieval, nos romances de Goethe, Musil e Guimarães Rosa, na obra lírica de Hölderlin, no teatro de Pirandello e na arte abstrata de Kandinsky. Marcadas pela “aventura” e pela “errança”, todas estas obras assignam seus autores num lugar insólito. Estes deixam de ser “autoridades” que dominam a sua obra para serem “trabalhadores” pelo próprio discurso como se este lhes viesse de outro lugar. Explorando esta inquietante estranheza, o “autor” se descobre “homem sem qualidade” — e portanto sem essência determinada —, sujeito freudiano que não é, mas que é-suspendido num jogo de possibilidades infinitas surgindo do intervalo entre um “passado”e um “devir”.
--
ISBN: 9788527300117
Autor: Kathrin Holzermayr Rosenfield
Páginas: 142

Coleção: DEBATES/D.221

Peso: 0,15 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm
Observação: este livro pode apresentar marcas de estoque ou de ferrugem devido à ação do tempo. Está, entretanto, em perfeitas condições de leitura e manejo.
LINGUAGEM LIBERADA, A
R$34,90
Esgotado
LINGUAGEM LIBERADA, A R$34,90
Qual é o estatuto da invenção poética na modernidade? A linguagem liberada do peso coercitivo da tradição e da convenção entra num livre jogo com as heranças culturais mais heterogêneas, criando assim novas formas artísticas que apontam para visões inéditas do mundo e da condição humana. O livro ora apresentado, de Kathrin H. Rosenfield, rastreia estas aberturas em diferentes momentos da história da arte: na figura do amor cortês medieval, nos romances de Goethe, Musil e Guimarães Rosa, na obra lírica de Hölderlin, no teatro de Pirandello e na arte abstrata de Kandinsky. Marcadas pela “aventura” e pela “errança”, todas estas obras assignam seus autores num lugar insólito. Estes deixam de ser “autoridades” que dominam a sua obra para serem “trabalhadores” pelo próprio discurso como se este lhes viesse de outro lugar. Explorando esta inquietante estranheza, o “autor” se descobre “homem sem qualidade” — e portanto sem essência determinada —, sujeito freudiano que não é, mas que é-suspendido num jogo de possibilidades infinitas surgindo do intervalo entre um “passado”e um “devir”.
--
ISBN: 9788527300117
Autor: Kathrin Holzermayr Rosenfield
Páginas: 142

Coleção: DEBATES/D.221

Peso: 0,15 kg
Dimensões: 20,5 x 11,5 x 0 cm
Observação: este livro pode apresentar marcas de estoque ou de ferrugem devido à ação do tempo. Está, entretanto, em perfeitas condições de leitura e manejo.