A história do Teatro no Brasil aponta, desde cedo, nomes de mulheres: são quase sempre atrizes, conhecidas por sua notável atuação nos palcos e, por vezes, na própria vida teatral brasileira, como é o caso, por exemplo, de Cacilda Becker. Ao contrário, nossa Literatura Dramática só conta, no passado, com raríssimos nomes de autoras teatrais. A obra que eventualmente produziram apresenta um acentuado caráter esporádico e talvez só tenha deixado tênues marcas em nosso desenvolvimento cultural: de modo geral, estreadas uma ou duas peças, o nome de suas criadoras desaparecia de nossos palcos. Dos fins da década de 60 em diante, porém, haverá uma considerável transformação nesse panorama secular. Por razões e causas tanto históricas quanto sociais e culturais, uma plêiade significativa de escritoras, quase-uma-geração (Renata Pallottini, Hilda Hilst, Leilah Assunção, Consuelo de Castro, Isabel Câmara, Maria Adelaide Amaral), volta-se primordialmente para o teatro e, acompanhada atentamente pela crítica e pelo público, passa a participar de forma constante e regular, com uma obra de qualidade, que se mostrou inquestionável para a ampliação e o enriquecimento de nossa produção dramatúrgica. A mulher já não está apenas presente no palco ou na platéia, mas é um dos fundamentos da arte do teatro. Abriu-se assim um novo e importante espaço público para a atuação feminina no Brasil, que é o de "Um Teatro da Mulher". E ao seu analisar as suas autoras e obras, Elza Cunha de Vincenzo descerra em seu estudo, com as feições artísticas e intelectuais de cada uma das componentes deste grupo de dramaturgas, o espaço em que se apresenta, como conjunto, a sua visão de mundo, específica e diferente: a da mulher e, de modo particular, a da mulher de nosso tempo.
--
ISBN: 9788527300537
Autor: Elza Cunha de Vincenzo
Páginas: 318
Coleção: ESTUDOS/E.127
Peso: 0,36 kg
Dimensões: 22,5 x 12,5 x 1,8 cm
Observação: este livro pode apresentar marcas de estoque ou de ferrugem devido à ação do tempo. Está, entretanto, em perfeitas condições de leitura e manejo.
UM TEATRO DA MULHER
R$59,90
Esgotado
UM TEATRO DA MULHER R$59,90
A história do Teatro no Brasil aponta, desde cedo, nomes de mulheres: são quase sempre atrizes, conhecidas por sua notável atuação nos palcos e, por vezes, na própria vida teatral brasileira, como é o caso, por exemplo, de Cacilda Becker. Ao contrário, nossa Literatura Dramática só conta, no passado, com raríssimos nomes de autoras teatrais. A obra que eventualmente produziram apresenta um acentuado caráter esporádico e talvez só tenha deixado tênues marcas em nosso desenvolvimento cultural: de modo geral, estreadas uma ou duas peças, o nome de suas criadoras desaparecia de nossos palcos. Dos fins da década de 60 em diante, porém, haverá uma considerável transformação nesse panorama secular. Por razões e causas tanto históricas quanto sociais e culturais, uma plêiade significativa de escritoras, quase-uma-geração (Renata Pallottini, Hilda Hilst, Leilah Assunção, Consuelo de Castro, Isabel Câmara, Maria Adelaide Amaral), volta-se primordialmente para o teatro e, acompanhada atentamente pela crítica e pelo público, passa a participar de forma constante e regular, com uma obra de qualidade, que se mostrou inquestionável para a ampliação e o enriquecimento de nossa produção dramatúrgica. A mulher já não está apenas presente no palco ou na platéia, mas é um dos fundamentos da arte do teatro. Abriu-se assim um novo e importante espaço público para a atuação feminina no Brasil, que é o de "Um Teatro da Mulher". E ao seu analisar as suas autoras e obras, Elza Cunha de Vincenzo descerra em seu estudo, com as feições artísticas e intelectuais de cada uma das componentes deste grupo de dramaturgas, o espaço em que se apresenta, como conjunto, a sua visão de mundo, específica e diferente: a da mulher e, de modo particular, a da mulher de nosso tempo.
--
ISBN: 9788527300537
Autor: Elza Cunha de Vincenzo
Páginas: 318
Coleção: ESTUDOS/E.127
Peso: 0,36 kg
Dimensões: 22,5 x 12,5 x 1,8 cm
Observação: este livro pode apresentar marcas de estoque ou de ferrugem devido à ação do tempo. Está, entretanto, em perfeitas condições de leitura e manejo.